sexta-feira, 27 de maio de 2011

A nova Grande Família - The new "A Grande Família"

Reprodução/Globo

Nunca fui muito fã de A Grande Família. Sempre achei um humor barato, quase pastelão, degradante. Uma caricatura ofensiva da família brasileira de classe-média baixa. Então, minhas noites de quinta-feira dificilmente eram gastas na emissora dos Marinho. Nem o excelente elenco me atraía.
Até esse ano.
A Grande Família continua sendo primariamente uma série de humor, mas os roteiristas deram um novo fôlego ao programa. O enredo menos episódico te prende, e a temática ficou muito mais séria: o programa que antes era uma baixaria, cheio de barracos estilo Programa do Ratinho agora beira ao thriller político, com um viaduto de antagonista e Nenê presidente da associação de moradores, com direito a faixa presidencial e tudo (se você não relacionou esse fato com Sra. Rousseff se tornar a primeira presidenta do país, então você tem a baixa sensibilidade a metáforas), incluindo conflitos emocionantes, dignos dos dramas de Shakespeare. Tudo isso sem perder o humor, sem deixar dos nos fazer rir, talvez até mais do que antes.
Rir pensando é melhor do que rir sem ter nada na cabeça.

A Grande Família has never been my favorite show. I never relly enjoyed its degrading crude humor, an offensivee caricature of lower-middle-class Brazilian families. So, I rarely spent my Thursday nights watching Rede Globo. Even the show's excellent cast never attracted me.
Until this year.
A Grande Família is still a comedy show, but its writers gave it a second wind. The less episodic plotline gets you hooked, and the former Programa do Ratinho-like show full of bigotry now is almost a political thriller, having an overpass as the major antagonist, Nenê as Community League's chairwoman, being almost the neighborhood's president (if you haven't related this to Mrs. Rousseff being elected Brazil's first female president, then your metaphor-radar is out of work), and Shakespearean moral conflicts. All of this without losing its comedy. We still laugh, maybe even more than ever.
Laughing while being critical is much better than laughing at nothing at all.

Nenhum comentário:

Postar um comentário