segunda-feira, 20 de junho de 2011

Quatro notícias - Four bits of news

Andei vendo umas notícias nessa segunda-feira, e algumas me chamaram a atenção. A primeira é de um refugiado religioso nigeriano que está aqui no Brasil. Ele fugiu da África porque está jurado de morte, simplesmente porque ele escolheu Jesus a Maomé.
Bornaventure Abugu chegou a dizer que aqui "não há discriminação religiosa". Embora possamos relativizar essa declaração dele, ela realmente nos dá o que pensar. Teria ele dito isso se o Brasil fosse esse país horrível, nojento e atrasado que alguns insistem em dizer que é? Sem dúvida, muito tem que mudar por aqui, mas é bom colocar o pé no chão e lembrar-se de que determinadas coisas poderiam ser piores do que realmente são.
AP

Falando em discriminção, fiquei meio bolado com a decisão da escola Egalia, na Suécia, de promover a igualdade de gênero. Não que essa igualdade não seja desejada, mas usar bonecos assexuados e evitar usar os pronomes "ele" e "ela" não parece fazer muito sentido. Igualdade não é a ausência de diferença, é respeito às diferenças existentes. Procurar incentivar a igualdade negando o simples fato científico que homens têm cromossomo XY e mulheres, XX, é, no mínimo, contraproducente.
Mudando de assunto, li também sobre um menino americano de 10 anos que é crítico gastronômico. Isso mesmo. Usando um blog, Eli Knauer visita restaurantes do país, avaliando comida, serviços e atendimento a crianças. Com mais de 50 avaliações no currículo, parece que o Sr. Knauer vai fazer carreira. Também gosto muito de comer, mas ainda não fiz críticas gastronômicas aqui. Quem sabe????
Reprodução

E pra terminar, uma confirmação de algo que já li várias vezes em sites de fotografia: cartões de memória são muito resistentes. Duvida? Pergunte para Peter Govaars: durante um passeio na praia com sua filha, no sul da Califória, ele encontrou os restos de uma máquina fotográfica com um cartão SD. As fotos parecem ser de uma família que visitou San Diego em 2007, e agora ele quer encontrá-los para devolver as fotos.

É isso aí. O Brasil é legal, podemos esconder o inescondível, qualquer um pode escrever um blog e nunca devemos desistir de nossas fotos. Não me parece tão ruim.

I've been reading some bits of news this Monday, and a few of them caught my attention. The first one is about a religious war refugee from Nigeria who now is here in Brazil. He fled Africa because he is under death threats for being a Christian. Bornaventure Abugu even said that "there's no religiously-motivated discrimination in Brazil." Although we can take his statement with a grain of salt, it's really thought-provoking: Would he have said this if Brazil were the underdeveloped bigoted country that some insist it is? Undoubtedly, lots of things still need to change, but it is not bad to remember that things could always be worse.

Talking about discrimination, I was somewhat worried about the decision of Egalia school, in Sweden, to promote gender equality. Not that this kind of equality is not desired, but using genderless dolls and avoiding using the pronouns "he" and "she" doesn't make much sense to me. Equality is not about the absence of difference, it's about respecting all kinds of different people. Promoting equality by denying the simple scientific fact that men are XY and women are XX is counterproductive, at best.

But let's now talk about something else. I have also read about an American 10-year-old who is a food critic. With his blog, Eli Knauer visits restaurants in the country, evaluating food service and kid-friendlyness. With more than 50 ratings on his curriculum, it seems that Mr. Knauer will build a nice career in the area. I also like to eat, but still have to do some food critiques. Who knows??

And to top it off, a confirmation of something I've read several times on photography websites: memory cards are very resistent. Don't you believe it? Ask Peter Govaars: during a walk on the beach with his daughter in southern California, he found the remains of a camera, still having its SD card. The pictures appear to be of a family that visited San Diego in 2007, and now he wants to find them to return the photos.

That's it. Brazil is cool, we can hide the unhideable, anyone can write a blog and we should never give up our photos. It does not seem to be all that bad.

P.S.: I was too lazy to translate manually and used Google Translate, editing the famous machine-translated-text gibberish later.

Nenhum comentário:

Postar um comentário