sexta-feira, 1 de julho de 2011

O tarado do FMI, parte 2 - IMF's perv, chapter 2

Shannon Stappleton/Reuters

Bomba! Dominique Strauss-Kahn pode ser inocente!!!
Se uma das minhas primeiras postagens foi sobre o caso que decidiu o futuro do Fundo Monetário Internacional, e por extensão, da Presidência da França, agora a coisa tomou outro rumo. A camareira que o acusou de estrupro e cárcere privado aparentemente é uma trambiqueira, que armou tudo com um traficante, só de olho no dinheiro. Os próprios promotores do caso alegam que ela mentiu repetidas vezes nos depoimentos, além de possíveis elos com tráfico de drogas e lavagem de dinheiro. Uma testemunha sem credibilidade.
Sempre achei essa história toda bem estranha. Se para mim, as alegações de estupro ainda parecem plausíveis, essa denúncia de sabotagem também não é impossível. A coisa toda cheira a perseguição política. É ainda mais interessante tudo ter acontecido na mesma semana em que foi anunciada a sucessão do FMI para Christine Lagarde, também da França.
Tô pagando pra ver a parte 3.

Breaking News! Dominique Strauss-Kahn may be not guilty!
One of my first posts was about the criminal case that changed the future of the International Monetary Fund and of the Presidency of France. Now, the case has made a U-turn. It seems the hotel housekeeper that initiated the charges set everything up with the help of an incarcerated drug dealer. Prosecutors claim the woman has lied several times during statements, and that she probaly has links with drug trafficking and money laudering. A witness with no credibility.
I always thought this whole story to be very hard to understand. The rape allegations still seem plausible to me, but a set-up is no less unbelievable. Looks like political motivations are behing the case. Also, it is noteworthy this overturn came to be on the very same week Christine Lagarde, also from France, was chosen as Strauss-Kahn's successor as IMF's chairwoman.
I'm dying to see "IMF's perv, chapter 3".

Nenhum comentário:

Postar um comentário